quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Trecho de uma mensagem enviada a um dos parlamentares da base aliada, com algumas adaptações no texto:

Não quero perder tempo com boatos. Aos fatos portanto.

1 - O presidente Lula não revogou os pontos que tratam do aborto, apenas modificou o texto, assim, ao invés de falar sobre descriminalização do aborto o texto foi alterado para "considerar o aborto como tema de saúde pública", ora, na prática, o que mudou? Foi utilizada apenas uma técnica de retórica.

2 - Que há planos de alterar nossa legislação para incluir estes temas não há dúvidas. Eu sei que o prezado irmão conhece o texto da Resolução do III Congresso do DN do PT de 2007. Está expresso, claramente para quem quiser ler, os planos para descriminalização do aborto, da legalização da prostituição, da união civil homossexual.

3 - É fato que a candidata Dilma declara considerar o aborto tema de saúde pública. Ainda que se diga que ela não declare expressamente ser favorável ao aborto.

4 - É fato que o PT sim puniu um de seus parlamentares por ser contrário ao aborto, trata-se do Dep. Luiz Bassuma, em Resolução do partido de 17/09/2009. Estou com o texto impresso em minhas mãos.

É fato que o PT votou contra a instalação da CPI do aborto, no dia 09/02/2009. (Todos estes documentos estão disponiveis no site do PT: www.pt.org.br - documentos).

Portanto, retirando os boatos restam os fatos, que por si só, causam grande preocupação.

É provável que a candidata Dilma Russef vencerá esta eleição, e até creio que ela não tomará qualquer iniciativa no tocante a estes temas polêmicos. Sabemos no entanto, que um presidente não governa sozinho.

É notório que iniciativas deste tipo nascem em uma das casas legislativas e que, ainda que haja veto presidencial, este poderá ser derrubado pelo Congresso Nacional.

Assim, ainda que haja um compromisso de campanha por parte dos candidatos, seja ele quem for, de que não adotará medidas neste sentido, devemos manter a guarda, e para isso contamos com parlamentares comprometidos com os princípios cristãos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário